Projetos, Reportagens

RBEB – Objetos de aprendizagem

O que são Objetos de aprendizagem? Convidamos os professores Claúdia FrançaBráulio Silva do CEFET-MG para refletirem sobre as potencialidades desses objetos e de sua ação no Projeto “Sociologia, Filosofia e Artes” (SoFiA)
Eventos, Projetos

UFMG 90 anos – ‘Sentidos do nascer’ abre nova temporada no campus Pampulha

UFMG 90 anos

A exposição Sentidos do nascer vai ganhar nova temporada neste semestre, como uma das atividades que integram as comemorações dos 90 anos da UFMG. Interativa, a mostra visa derrubar mitos relacionados ao nascimento e ao parto normal e orientar sobre os prejuízos que as cesarianas desnecessárias oferecem à saúde da mulher e do bebê.

A reabertura da exposição é hoje (quinta, 4). A partir de então, ela poderá ser visitada toda quinta-feira, das 9h às 21h, até a 69ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que será realizada de 16 a 22 de julho, no campus Pampulha. Na semana da reunião, a mostra poderá ser visitada diariamente, no mesmo horário.

A exposição Sentidos do nascer está montada ao lado do Restaurante Universitário Setorial 1, que fica entre a Faculdade de Educação (FaE) e o Instituto de Geociências (IGC). Durante todo o horário de visitas haverá monitores para instruir os visitantes sobre a mostra.

Bernardo Jefferson, professor da FaE e historiador da ciência, idealizador da mostra, explica que, graças à forma como a mostra trata os benefícios do parto normal, a Prefeitura de Belo Horizonte tem-se valido de sua estrutura para oferecer aos profissionais de saúde do município pequenos cursos de formação continuada.

Sentidos do nascer pretende contribuir para a mudança da percepção sobre o nascimento, incentivando a valorização do parto normal para a redução da cesariana desnecessária. A cesariana é uma cirurgia indicada quando o parto normal não é possível, ou seja, uma exceção que, no Brasil, virou regra”, explica Bernardo.

O professor lembra que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o percentual de cesarianas realizadas esteja entre 10 e 15% do total de partos, mas, no Brasil, 57% dos bebês nascem por meio desse tipo de procedimento. “Na rede privada, esse índice chega a 80%”, afirma o professor.

Mais informações sobre a exposição Sentidos do nascer podem ser obtidas no site do projeto ou acompanhadas em sua página no Facebook.

Fonte: UFMG 90 anos

Eventos, Projetos

PEEP – Canais de comunicação para a divulgação científica é tema do V Fórum de Cultura Científica

Thacyane Martinelli

Pensar a Educação em Pauta

Foi realizado no último dia 7 de junho o V Fórum de Cultura Científica da UFMG, promovido pela Diretoria de Divulgação Científica (DDC) e pela Pró-reitoria de Extensão (Proex) da instituição. O evento marcou o lançamento do Fórum Jovem de Cultura Científica e ainda promoveu uma discussão sobre a comunicação pública da Ciência. 

O Fórum Jovem de Cultura Científica é fruto dos fóruns anteriores e reúne um grupo predominantemente de estudantes em torno do tema. O Fórum pretende dar mais destaque ao trabalho de estudantes na divulgação científica.  

A mesa de debate com o tema “Mídias Sociais na UFMG e a Divulgação Científica”, contou com a presença de Jean Gomes de Oliveira, aluno de química da UFMG e administrador do blog Saber Atualizado; Vinicius Marangon, aluno de física da UFMG e um dos proprietários do Canal Cura Quântica no You Tube; e Tarcísio Mauro Vago, professor do Departamento de Educação Física da UFMG e coordenador do projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil.  

Jean contou que decidiu criar o blog para divulgar conteúdo científico de qualidade após perceber a quantidade de informações erradas oferecidas pela internet. Já Vinicius optou pelo canal no YouTube porque queria disseminar sua paixão e despertar o interesse nas pessoas sobre as mais variadas áreas da ciência. Na atuação dos seus canais de divulgação, Jean e Vinicius perceberam a dificuldade em se fazer divulgação científica, especialmente devido a grande quantidade de notícias falsas compartilhadas na web e viram nas redes sociais o caminho para atingir mais gente. Na sequência, o professor Tarcísio apresentou o conjunto de ações sobre educação pública que compõem o projeto, que hoje totalizam 13 entre redes sociais, publicações virtuais e impressas.  

A discussão, que agregou comentários e perguntas dos demais participantes do Fórum, levantou questões acerca da “desinformação”. A ideia de que a ciência produzida pela academia precisa ser levada para as pessoas foi debatida e muitos pesquisadores presentes lembraram o lugar do diálogo entre diversos saberes na produção científica. Também foi levantada a questão da “má-informação”, questão cultural e está presente em todos os níveis sociais e intelectuais. Segundo os debatedores, divulgar informações e adequar o conhecimento científico à cultura é uma forma de diminuir a quantidade de propagadores de má-informações e ampliar o acesso da população a materiais de qualidade que por vezes ficam restritos ao ambiente acadêmico.  

O Fórum Jovem de Cultura Científica surgiu em 2015 e tem como objetivo ser um espaço de discussão deliberativa entre estudantes, professores, pesquisadores e servidores tecnico administrativos sobre assuntos relacionados à ciência, vida acadêmica e sociedade. A proposta é promover um debate horizontal, sem hierarquias e que, ao final de cada reunião, encaminhe propostas de ações para os projetos existentes na Universidade. O tema da próxima edição do fórum será “Formação Transversal: da teoria à prática” que deve acontecer durante a  69ª Reunião Anual da SBPC, em julho.

Fonte: Pensar a Educação em Pauta

Notícias, Projetos

Os efeitos da divulgação científica

Thayse Menezes

Núcleo de Estudos de Recepção em Comunicação Pública das Ciências se reúne com coordenadores de projetos aprovados em edital da FAPEMIG

No dia 07 de fevereiro o Núcleo de Estudos de Recepção em Comunicação Pública das Ciências, se reuniu com coordenadores de seis projetos de difusão científica de Minas Gerais pra iniciar. A partir desta reunião, os membros do NERCoPE passam a acompanhar a avaliar criticamente as atividades de tais projetos.

Os trabalhos escolhidos foram aprovados no edital Chamada 07/2015 da FAPEMIG: Popularização da Ciência, da Tecnologia e da Inovação. Os projetos realizam difusão científica de modos distintos e voltados para diferentes públicos. Entre eles, o projeto de extensão Sociologia, Filosofia e Artes (SoFiA) do CEFET-MG que atua em duas comunidades periféricas de Belo Horizonte afim de realizar atividades com os moradores da região. Também o projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil (1822 – 2022) cujo público-alvo que busca qualificar a ampliar a discussão sobre educação pública.

Há também projetos que atuam no interior do estado de Minas Gerais, como o Ciência em Movimento que difunde o trabalho da Fundação Ezequiel Dias junto ao SUS e o Ciência Móvel, projeto da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, a EPAMIG,  que divulga a ciência e tecnologia agropecuária no sul do estado por meio de um micro-ônibus equipado com um mini laboratório.

Dentre as atividades selecionadas há também duas exposições: a Processos do Conhecer, uma exposição temporária no Espaço do Conhecimento UFMG, e a Sentidos do Nascer, que debate a experiência do parto com uma exposição itinerante.

Durante os dois anos do financiamento o Núcleo de Estudos de Recepção em Comunicação Pública das Ciências acompanhará as atividades destes projetos, afim de conhecer o público e estudar a recepção de ciências à cada ação.

É possível conhecer mais sobre os trabalhos através da categoria Projetos.

Projetos

Divulgação e Popularização da Ciência junto aos Movimentos Sociais do Campo e Professores da Educação Básica em Uberlândia/MG e Região

O projeto ‘A Formação Política pela Sétima Arte’ consiste em um esforço e um desafio para a problematização dos processos de apropriação e mobilização pública da ciência e sua divulgação no campo das ciências humanas, em particular as ciências sociais. A ideia é formar sujeitos críticos e conscientes de si mesmos e do meio em que vivem na perspectiva da cidadania. O projeto nasce da parceria com os movimentos sociais, sindicatos e associações não governamentais de Uberlândia/MG e também a Secretaria Municipal de Educação de Uberlândia, através do Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz (CEMEPE). O objetivo é envolver os professores da rede municipal de ensino, responsável pela educação básica, na formação continuada de saberes e práticas educativas e na área da divulgação científica.

 

Instituição: Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professor responsável: Fabiane Santana Previtali

Contato: https://www.facebook.com/aformacaopoliticapelasetimaarte/

Projetos

Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil – 1822 – 2022

O Projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil – 1822-2022 foi criado na UFMG em 2007 e realiza desde então um conjunto articulado de ações que entrelaçam extensão, ensino, pesquisa e popularização do conhecimento científico sobre educação. O projeto propõe reflexões e alternativas para a elevação da qualidade da educação pública, procurando constituir uma ambiente cultural que favoreça a relação reflexiva e criativa da população com a Educação, a Ciência e a Tecnologia. O projeto que mobiliza 12 universidades brasileiras hoje mantêm discussões com ênfase na educação básica, seus desafios e avanços. Atuando em permanente diálogo com os sujeitos que a constroem no cotidiano, notadamente os educadores, estudantes e pais, e também a sociedade civil.

O Projeto propõe um Plano de Divulgação e Popularização da Ciência através de programas semanais de Rádio; Seminários Anuais; Coleção de Livros; espraiamento de informações do projeto via redes sociais e planos de divulgação; a publicação online semanal “Jornal Pensar a Educação Em Pauta”, com um debate entre especialistas e professores de diversos níveis; o Periódico Pensar a Educação em Revista; Projeto Integrado Interinstitucional de Pesquisa; Produção de Material Didático para educadores; e Programa de estágio curricular.

Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professor responsável: Tarcísio Mauro Vago

Contato: www.pensaraeducacao.com.br | (31) 3409-5355

Projetos

Ciência Móvel Epamig – Levando Conhecimento para a sociedade mineira Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais

Com financiamento da FAPEMIG, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais adquiriu em 2011 um micro-ônibus adaptado com mini laboratório. Constituído como uma unidade itinerante, o “Ciência Móvel EPAMIG” se tornou uma das ferramentas mais atrativas para a popularização da Ciência e Tecnologia desenvolvidas pela EPAMIG Sul. O veículo é equipado de forma a facilitar demonstrações práticas e teóricas da pesquisa agropecuária realizada pela instituição.

Pretende-se possibilitar à comunidade em geral conhecer e aprender sobre as tecnologias e pesquisas realizadas pela EPAMIG Sul de forma a manter e ampliar as parcerias com outras instituições importantes e obter maior reconhecimento pela população do retorno do investimento do Governo de Minas Gerais na pesquisa agropecuária mineira.

As próximas ações do “Ciência Móvel EPAMIG” visam a divulgação e popularização da Ciência e Tecnologia nos eventos promovidos pela EPAMIG Sul e por outras instituições e participar da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e elaborar, confeccionar e distribuir material didático no eventos.

Instituição: Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG)
Professor responsável: Vanda Maria De Oliveira Cornélio
Contato: 

Projetos

Ampliação das atividades de popularização da ciência e tecnologia da Fundação Ezequiel Dias

A instituição implantou em 2012 o Programa Ciência em Movimento, para levar conhecimento científico às comunidades. Trata-se de uma exposição itinerante, levada por um caminhão que percorre os municípios de Minas Gerais, onde os visitantes têm acesso a materiais e atividades educativas de conteúdo científico e tecnológico, com uma abordagem lúdica e interativa. Este projeto objetiva ampliar as atividades do Programa com a elaboração e realização de aulas, jogos, mapas, ilustrações e infografias interativos em ambientes virtuais, com temas relacionados à ciência e tecnologia e à saúde e sua promoção. Confeccionar materiais de caráter lúdico-interativo, que proporcionem experimentações em física e biologia. Criar e desenvolver aplicativo para informação científica histórica e cultural da FUNED. Realizar oficinas de reaproveitamento de materiais recicláveis e reutilizáveis para produção de peças e objetos, como uma das atividades educativas do Programa. Sensibilizar a população para as atividades educativas, promovendo o intercâmbio entre ciência e arte, como forma de valorizar a cultura local.

Instituição: Fundação Ezequiel Dias (Funed)

Coordenador: Sidney do Carmo

Contato: www.funed.mg.gov.br/formulario-ciencia-movimento

Projetos

Processos do Conhecer: exposição temporária do Espaço do Conhecimento UFMG

“Processos do Conhecer” é derivada de uma concepção de exposição de longa duração que tem como temática o conhecimento e os processos cognitivos. A proposta envolveu um grupo interdisciplinar de professores e alunos da UFMG e perpassa diversas áreas do conhecimento. Pretende-se compor a exposição temporária: as relações entre conhecimento e poder e um labirinto de controvérsias científicas que trará discussões sobre as causas da obesidade e o uso de agrotóxicos. Pretende-se com a exposição experimental ampliar e dinamizar o público espontâneo e escolar no Espaço do Conhecimento, além disso, avaliar a percepção do público em relação à temática e às soluções expositivas. Buscando uma linguagem inovadora de divulgação científica pretende-se contribuir para uma formação interdisciplinar de alunos de graduação e pós-graduação que participam do processo de concepção, pesquisa, mediação e avaliação da exposição.

Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Professor responsável: Verona Campos Segantini
Contato: http://www.espacodoconhecimento.org.br/